Não perca essa oportunidade! Preencha e receba agora mesmo os preços e detalhes:
Eu li e concordo com os Termos de Uso e a Política de Privacidade
Ligue já e
agende sua consulta
11 3034-4238 11 9-9734-6584

Catarata: riscos de não operar

Descubra quais os riscos de não operar a catarata e saiba como evitá-los.

Catarata: Riscos de não operar

A cirurgia de catarata é um procedimento considerado de baixa complexidade na medicina. Entretanto, mesmo se tratando de uma cirurgia simples, ela pode sim oferecer alguns riscos. Mas, o que pouca gente sabe, é que postergar o procedimento por conta de medos e incertezas, pode ser muito mais perigoso do que realizar a cirurgia de catarata.

Se o seu oftalmologista recomendou a cirurgia de catarata, não a fazer também oferece riscos e, neste caso, eles são graves. O comprometimento da visão com a catarata pode levar à cegueira. E é sabido que a visão comprometida pode ocasionar em acidentes, depressão e perda da liberdade. Portanto, a cirurgia de catarata é sempre a melhor opção para as pessoas acometidas pela doença.

Confira quais são os principais riscos de não realizar a cirurgia de catarata e descubra como evita-los.

1. Perda de visão

A catarata é uma doença progressiva, ou seja, ela evolui com o passar do tempo. Normalmente, ela se apresenta no início apenas como uma visão embaçada ou fora de foco, no entanto, se não houver o tratamento correto da doença, ela pode evoluir até chegar ao estágio de perda de visão reversível.

Quando a catarata é diagnosticada no início, o uso de óculos pode ajudar o paciente a lidar com os sintomas da doença. No entanto, nos casos mais evoluídos, somente com a cirurgia o paciente poderá ter de volta a qualidade da visão.

2. Dificuldade na realização de tarefas de rotina

Com a dificuldade de enxergar, diversas atividades acabam sendo prejudicadas, principalmente as de rotina. Isso porque, mesmo as tarefas simples, para um paciente acometido pela catarata, podem se tornar muito complexas. A dificuldade de enxergar pode comprometer até mesmo a capacidade de o paciente trabalhar ou realizar atividades comuns em seu dia a dia, como subir e descer escadas, e atravessar a rua, por exemplo.

3. Risco de sofrer e causar acidentes

Optar por não fazer a cirurgia de catarata pode acarretar em diversos problemas, entre eles, o risco de sofrer acidentes realizando mesmo as tarefas mais simples. A dificuldade em enxergar diminui nossa percepção de espaço e, com isso, diversos acidentes estão propensos a acontecer. Não é incomum os pacientes acometidos pela catarata relatarem casos de acidentes como quedas, cortes, entre outros.

Vale lembrar que um paciente com a visão comprometida pela catarata pode oferecer riscos a si mesmo, além de oferecer riscos também à vida de terceiros, especialmente em casos de acidentes automobilísticos, como batidas, atropelamentos, entre outros.

4. Perda de liberdade, sensação de inutilidade e depressão

Ao sofrer dificuldades para enxergar e, consequentemente, ver seu ciclo de atividades se fechando aos poucos por conta disso, os pacientes acometidos pela catarata acabam perdendo aos poucos a sua liberdade e a sua capacidade de realizar tarefas sem a ajuda de uma outra pessoa. Essa mudança brusca de estilo de vida, além de causar um enorme transtorno ao paciente, também pode contribuir para que ele se sinta deprimido e, com isso, queira cada vez menos realizar tarefas simples, como ir à padaria, por exemplo.

É comum que pacientes com catarata relatem que, além da dificuldade em enxergar, também se sentem inúteis por não conseguirem realizar coisas simples sozinhos. Em alguns casos, esses pacientes precisam de auxílio até mesmo para sair de casa, o que faz com que eles se sintam como um peso para a sua própria família.

5.Dificuldade no diagnóstico de outras doenças oftalmológicas

A catarata pode facilmente esconder outros problemas oftalmológicos de um paciente. É comum encontrar pessoas que optaram pela cirurgia e somente durante o procedimento descobriram que, além da catarata, sofriam com outros problemas oftalmológicos que também atrapalhavam a qualidade de sua visão. Por isso, quanto antes forem feitos o diagnóstico e o tratamento adequado à catarata, mais rápido o paciente pode recuperar-se e retomar a sua vida sem maiores dificuldades.

Como evitar esses riscos?

  • • Realizar consultas periódicas com o oftalmologista pode te ajudar a descobrir a catarata logo no início, portanto, essa é a principal forma de evitar os riscos citados acima.
  • • Após o diagnóstico, seguir todas as orientações do seu oftalmologista. Vale lembrar que o único tratamento para a catarata é a cirurgia, então, se essa for a recomendação do seu médico oftalmologista, não deixe de segui-la em hipótese alguma.
  • • É importante saber que a cirurgia de catarata pode oferecer pequenos riscos, mas que nenhum deles é maior do que o risco de não operar a doença.

Veja também!