Não perca essa oportunidade! Preencha e receba agora mesmo os preços e detalhes:
Eu li e concordo com os Termos de Uso e a Política de Privacidade
Ligue já e
agende sua consulta
11 3034-4238 11 9-9734-6584

Cirurgia de catarata: tudo o que você precisa saber

Saiba todos os detalhes importantes sobre a cirurgia de catarata e não tenha dúvidas sobre recorrer ao procedimento!

Catarata: Exames que você precisa fazer

A catarata é uma doença oftalmológica que atinge principalmente os idosos com idade acima dos 55 anos. A doença consiste na opacidade do cristalino, lente natural dos olhos, responsável pela chegada de luz na retina e formação da imagem. No início, pode apresentar-se como um incômodo ou dificuldade leve de enxergar detalhes, cores ou formatos, no entanto, com o passar do tempo, a catarata tende a piorar, podendo chegar ao estágio de cegueira.

A cegueira causada pela catarata não é permanente, podendo ser revertida com a cirurgia de catarata, onde é feita a substituição do cristalino por uma lente artificial intraocular (LIO) e, desta forma, o paciente pode voltar a enxergar normalmente em pouco tempo.

Entenda tudo o que você precisa saber sobre a catarata e a cirurgia de catarata. Confira!

Quais são os sintomas da catarata?

Manifestando-se de forma gradativa, a catarata pode apresentar-se no início apenas como um incômodo ou dificuldade de visão, facilmente confundida com doenças como miopia e astigmatismo, por exemplo. Porém, esses sintomas tendem a se agravar com o passar do tempo, por isso é de suma importância manter consultas regulares com um oftalmologista de confiança, para acompanhar a sua saúde visual e, no menor sinal da catarata, buscar o tratamento adequado. Os principais sintomas da catarata são:

  • - Dificuldade na visão de formas e contornos de objetos e paisagens;
  • - Sensação de opacidade na visão, como se olhasse através de um vidro sujo constantemente;
  • - Visão dupla;
  • - Sensação de visão com brilho do sol ou de lâmpadas;
  • - Mudança na visão das cores.

Quais são os tipos de catarata?

A catarata pode ser causada por diversos fatores, sendo que o principal deles é a idade. Além da catarata senil - tipo mais comum da doença - existem alguns outros tipos que se manifestam de diferentes formas. Entenda quais são eles:

Catarata Senil

É o tipo mais comum da doença. Costuma se manifestar em pessoas acima de 55 anos de idade e a sua principal causa é o envelhecimento.

Catarata Traumática

Ocorre após algum trauma ou acidente ocular e geralmente se manifesta em apenas um dos olhos.

Catarata Diabética

Pessoas diabéticas têm maiores chances de serem acometidas pela catarata. Esse tipo da doença costuma se manifestar de forma precoce - antes dos 55 anos - e provoca a perda da visão de maneira mais acelerada do que no tipo mais comum da catarata.

Catarata Medicamentosa

O uso excessivo de medicamentos também pode causar a catarata, principalmente os corticóides, quando usados por longos períodos.

Catarata Congênita

A catarata congênita pode ser causada por problemas genéticos e também por doenças que a mãe passa para o feto, principalmente durante os três primeiros meses da gestação, que é o período mais sensível da gravidez.

Como descobrir se eu tenho catarata?

Para descobrir se você possui catarata é importante se consultar com um oftalmologista de confiança. Ele fará exames e testes para ter o real diagnóstico da doença.

Como prevenir a catarata?

Não existe uma forma de prevenir a doença, no entanto, o diagnóstico precoce pode devolver rapidamente a qualidade de vida ao paciente. Isso porque quanto antes for identificada a catarata, mais rápida pode ser a realização da cirurgia e o retorno à vida normal. Por isso é tão importante manter consultas periódicas ao oftalmologista.

Catarata tem cura?

A única maneira eficaz de curar a catarata é a cirurgia, que consiste na retirada do cristalino e substituição por uma lente artificial intraocular (LIO), que passará a fazer a função do cristalino nos olhos. Trata-se de um procedimento rápido, de baixo risco e completamente indolor.

O que é facoemulsificação?

A facoemulsificação é a técnica de cirurgia de catarata mais utilizada pelos cirurgiões, por se tratar de um procedimento simples e de baixo risco. A cirurgia utiliza uma espécie de cânula ligada a um aparelho ultrassônico, que é inserida no globo ocular através de um pequeno corte (de cerca de 3,5 mm), dilui o cristalino e também o aspira.

Em seguida, a mesma cânula retorna ao globo ocular, desta vez para implantar a nova lente que ficará no lugar do cristalino. Essa lente pode variar de acordo com o caso de cada paciente, pois existem modelos que além da catarata, também corrigem outros problemas, como miopia e hipermetropia, por exemplo.

Como funciona a cirurgia de catarata a laser?

A cirurgia de catarata a laser é um procedimento um pouco mais moderno do que a facoemulsificação, no entanto, custa mais caro. A diferença entre os dois procedimentos está na forma de incisão, ou seja, na facoemulsificação, o corte é feito através de bisturi e na cirurgia a laser, é o próprio laser o responsável pelo corte, o que oferece uma maior precisão.

Após a realização da incisão, ambos os procedimentos são parecidos, pois é feita a retirada do cristalino e a inserção da nova lente intraocular. Em alguns casos, o corte é realizado através do laser e a substituição da lente é feita conforme o procedimento da facoemulsificação, em que a cânula dilui e aspira o cristalino e, em seguida, insere a nova lente intraocular.

O que é melhor: facoemulsificação ou cirurgia a laser?

Por se tratar de procedimentos muito parecidos e, principalmente, por questões de valores, a cirurgia de catarata através da facoemulsificação é a mais indicada. No entanto, é preciso tomar cuidado com alguns pontos no momento de contratação do seu cirurgião. Perguntas como o número de cirurgias que ele realiza, são muito importantes para compreender se ele possui real experiência no procedimento, que apesar de possuir poucos riscos, é bastante delicado.

Lembre-se: quando se trata de cirurgias oftalmológicas, a experiência do cirurgião conta muito para diminuir os riscos de complicações.

Existe mais de uma opção de lente na cirurgia de catarata?

Existem dois tipos principais de lentes que podem ser usadas para a substituição do cristalino na retirada da catarata: as lentes rígidas e as flexíveis. Com a evolução do procedimento cirúrgico, as lentes rígidas foram deixadas de lado para serem substituídas pelas flexíveis que são maleáveis e podem facilmente ser inseridas nos olhos sem a necessidade de um corte muito grande no globo ocular.

As lentes intraoculares flexíveis estão disponíveis em diferentes modelos. Entre eles estão:

Monofocal tórica: Indicada para pacientes com graus de astigmatismo médios/altos, pois possui a curvatura calculada para corrigir a visão para longe, no entanto, não elimina as chances de o paciente precisar usar óculos para corrigir a visão para perto.

Monofocal não-tórica: É indicada para pacientes que possuam astigmatismo com até 1 grau, geralmente utilizada para corrigir casos de graus baixos de miopia ou hipermetropia com até 6 graus. Também não elimina as possibilidades de o paciente necessitar de óculos para perto.

Multifocal tórica: Por possuírem pontos de foco para longe e para perto, essas lentes são as mais indicadas aos pacientes que desejam corrigir ambos problemas de uma vez só. Essas lentes diminuem em 90% as chances de o paciente depender de óculos após a cirurgia.

Multifocal não-tórica: Também indicadas para pacientes que desejam corrigir sua visão para longe e para perto, as lentes mutifocais não-tóricas devem ser usadas por pacientes que possuam grau baixo de astigmatismo, pois não possuem curvatura calculada para corrigir este problema de visão.

Multifocal acomodativa: As lentes multifocais acomodativas são as que mais se assemelham ao cristalino, ou seja, elas mudam o ponto de foco para longe ou para perto de acordo com a movimentação do músculo ciliar, o que se aproxima muito à função das lentes naturais dos olhos.

Com a evolução dos procedimentos cirúrgicos de retirada da catarata, as lentes rígidas foram deixadas de lado, para serem substituídas pelas lentes flexíveis, que podem ser dobradas e, com isso, não existe a necessidade de realizar um corte muito grande para fazer a incisão. Mas além da textura e maleabilidade das lentes, também existem modelos diversos que ajudam a corrigir vários problemas oftalmológicos.

As lentes flexíveis estão disponíveis nos modelos monofocais tóricas ou não-tóricas, multifocais tóricas ou não-tóricas e acomodativas.

Quais são os riscos da cirurgia de catarata?

Apesar de ser considerada uma cirurgia simples, o procedimento de retirada da catarata também possui riscos e complicações eventuais, assim como qualquer outro procedimento cirúrgico. Mesmo a facoemulsificação e a cirurgia a laser sendo considerados procedimentos com alto índice de precisão, ainda assim, envolvem alguns riscos que podem ser eliminados principalmente com a boa escolha da clínica e ou cirurgião.

Entre as principais complicações da cirurgia de catarata estão:

  • - Sangramento;
  • - Inchaço e perda de fluidos;
  • - Infecção no olho;
  • - Descolamento da camada de nervo na parte de trás do olho.

Saiba mais: